A História em video

Loading...

sábado, 30 de julho de 2011

Sonhos: Reais ou ideais?

Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetrável e inexpugnavelmente nosso (Fernando Pessoa)


Os sonhos são para serem sonhados; porém, os sonhos que não são experimentados, somente, serão sonhos do inconsciente e, sob este aspecto, Freud os justificava como sendo, desejos reprimidos.


O sonho é a descarga do inconsciente, conquanto necessários na criação da realidade consciente e concreta. É como no verso do poeta, e canção, quando diz:

 "Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida..." 


Então...
Sonhe!!!


sexta-feira, 29 de julho de 2011

Viciado equilibrado?!

Em recente entrevista ao jornal Correio Braziliense (17.06.11), o Ex Presidente FHC, quando questionado acerca do uso  e da descriminalização da maconha, disparou: "Sempre uso o seguinte exemplo: gosto de vinho, tomo quase todas as noites. Se tomar no almoço, prejudica meu trabalho. Se pedir uma taça pela manhã, me levem para o hospital, pois estou doente. O mesmo vale para a maconha. Se a pessoa fumar o dia inteiro, vai ter problemas psicológicos", enfatizando o uso com racionalidade, equilíbrio... em oposição ao percebido em viciados.
   
Pergunta-se: Será possível, um viciado falar, pensar ou usar o seu objeto de vício com racionalidade e equilíbrio? Ou será que com os intelectuais a coisa é diferente? Será que o segredo é estudar? Porque não é como se apresenta o "problema" na sociedade. O indivíduo torna-se passível de cuidados  médicos/psicológicos, exatamente por não conseguir esta "racionalidade" e esse "equilíbrio" e,  inclusive é considerado um doente e/ou caso de saúde pública e pronto atendimento  para o seu restabelecimento - quase sempre, não percebe que é dependente e acha que tem o controle da situação.
   
Talvez, estudar e/ou ser um intelectual possa ajudar a entender o discurso falacioso de alguns, sobre algumas coisas, em algum lugar ou simplemente para refletir acerca das atitudes... de alguns, quem sabe.
   
Felizmente, a resposta veio de imediato, no mesmo veículo de comunicação, com o célebre título em destaque: "FHC quebra tabu e assusta especialistas".
   
Infelizmente não sou especialista nessa área, mas observadora e sei que o uso da maconha, comumente, é porta de entrada para outras drogas mais pesadas.
   
Tenho racionalidade, equilíbrio, educação (discernimento) e já sou uma quase "intelectual".
Todas venias, senhor FHC!
   
Obrigada, Senhor! por me conceder entendimento.


Saber mais:

Por uma questão de cidadania

Estou tentando entender!
  
O TCDF (Pres.) ao analisar as contas dos governos do DF passados, relativas a 2010, aprovaram as despesas do então governador J. R. Arruda por voto de desempate e, ao ser questionado a aprovação, alegou que só a fez porque teria que atender a um lados...desempatando-os, contrariando assim, o entendido/analisado em 2009 pelo Egrégio Tribunal e o mesmo governo, cujo Relator, já havia apontado irregularidades e pontos bastantes obscuros e/ou controversos à prática pública.
  
A mim, a explicação dada a mídia/imprensa parece bastante simplista ou no mínimo estranha, não? Afinal, voto de minerva (desempate) não é, exatamente, por  termo ao processo, verificando o que, ou com quem está a razão e o equilíbrio, apreciação e lisura? Não havia precedentes? Valeria, ao meu ver, pelo menos mais amplitude nas discussões. Claro, antes da votação. Mas, ao contrário, foram APROVADAS! ressalvando-se as (contas) dos seus interinos/sucessores - enquanto ele estava afastado - por apresentarem as mesmas características das anteriores, quais sejam, as de 2009,
  
Alguém me ajuda, ai!!!